Dicas de empreendedorismo em moda com Isabela Capeto

Atualizado: 17 de out. de 2019

Foi um prazer conversar com a carismática estilista Isabela Capeto sobre empreendedorismo no Marco Pernambucano da Moda. A sua moda feminina costuma ter nos seus detalhes elementos românticos e do mar, são peças tão encantadoras como uma sereia.

Formada na Accademia di Moda em Florença, na Itália, Isabela Capeto passou pela área de criação de várias grifes, como Maria Bonita, Maria Bonita Extra e Lenny, além de ter trabalhado com estamparia na Fábrica Bangu. Em 2003, inaugurou seu ateliê no Rio de Janeiro. Ela contou que, além de ter esse espaço físico, transita por todo país como uma cigana oferecendo consultorias em moda no país e aproveitando esses momentos para vender suas peças em eventos organizados na casa dos amigos.

As roupas embarcam na própria mala de viagem para, se possível, oferecer aos clientes que moram em outras regiões. Esta dica ajuda a reduzir os custos fixos da empresa, porque minimiza os gastos com alugueis de espaços, estimula um atendimento aconchegante  e dispensa custos com fretes para a entrega das mercadorias.


Isabela instiga ao designer, que quer uma linhagem autoral, a não só seguir tendências pré-determinadas para criar suas coleções e sim ser honesto com os seus desejos criativos. Ela reforça a importância de ter uma agenda com informações dos clientes para propor atendimento mais personalizado e valoriza a criação de parcerias para favorecer a troca de experiências que impulsionam a consolidação da sua empresa no mercado.



A carioca, ainda, contou sobre quando recebeu investimento para vender porcentagem da marca. Após a venda, os investidores passaram a exigir uma maior quantidade das suas peças e, com isso, inaugurar mais franquias para reter mais lucro. Para Isabela, tal mudança na sua marca poderia afetar a gestão da qualidade dos produtos. Apesar desse episódio de quase perder o domínio do planejamento estratégico da marca que possui seu nome, a empresaria ralou muito e conseguiu comprar de volta os direitos autorais.

Essa dica também vale para a produção de peças, muitas vezes os empresários de moda desejam aumentar a quantidade de produção de peças e acessórios, mas nem sempre essa ampliação é legal para o plano de negócio empreendido. Por isso, nós concordamos que multiplicar não é sinônimo de ampliar.


2 visualizações0 comentário